VOLTAR - PÁGINA INICIAL VOLTAR - Arquivo Geral

NOVEMBRO de 2011

Frase do MêsUma das mais belas compensações da vida é que nenhum ser humano pode ajudar o outro sem que esteja ajudando a si mesmo. Rhalph Waldo Emerson

Última Atualização:23 de Novembro de 2011

 

Entrando no Advento…

Viramos mais uma página do ano litúrgico e, também, da nossa história. Entramos no tempo do movimento e da espera. Movimento de Deus que continua vindo e abertura dum coração que O espera ardentemente, porque sabe que “o nosso coração está inquieto enquanto n’Ele não repousar”. Tempo de vigilância e de atenção às manifestações do Senhor.

“Vivemos a tua vinda, Senhor, dentro da vida! Vieste há mais de dois mil anos e neste tempo litúrgico, a Igreja vive, não uma saudade, mas a tua presença e realidade, no Mistério da Tua Encarnação.

Senhor, Tu vens e estás presente nos fatos felizes e tristes da nossa estrada! Ainda que nem sempre te reconheçamos.

Estás presente no que acontece no mundo e na Igreja. Tu vens, e estás presente naqueles que praticam o amor, a caridade, o perdão, a reconciliação e a paz. Tua mensagem incômoda, traz a Luz e espanta a noite!

Tu vens, continuas vindo mas a gente se pergunta: Estamos preparados, de olhos abertos para percebermos a Tua vinda e as Tuas manifestações?

Vem nascer Senhor, na Belém das drogas, da violência, da corrupção; da prostituição do menor, da família desmoronada!

Vem nascer nas misérias do mundo atual! Só assim, provaremos teu Natal, coroando este tempo de Advento. Amém”. (Adaptado do Frei Walter Almeida)

Se o Advento é tempo de “espera” do Senhor que vem, é também tempo de mobilização para ir ao encontro d’Aquele que vem, particularmente, através dos irmãos mais necessitados… como propõe o artigo - Advento: tempo de mobilização. (confira)

 

Santo do Mês - Novembro

São Martinho de Tours, um dos santos protetores das Irmãs de São José de Cluny, nasceu em Sabaria na Hungria e foi educado em Pavia, Italia. Viveu a maior parte da sua vida em França. Como o pai, tornou-se militar e fez parte da Guarda Imperial do Imperador Constantino e depois de Julius. Filho de uma  família não cristã, jovem tornou-se catecúmeno e foi batizado na fé cristã. É chamado o santo da compaixão, dada a delicadeza de seu coração para com o povo, particularmente para como os mais frágeis, pois desde cedo mostrou o seu grande amor para com os pobres. Num inverno rigoroso partilhou o seu manto com um pobre que estava morrendo de frio. Naquele pobre estava o próprio Jesus que, posteriormente, se revelou.  Recebido o batismo, seguiu Santo Hilário, bispo de Poitiers - França. Abraçou a vida religiosa fundando o primeiro mosteiro do Ocidente. Posteriormente foi ordenado bispo e, juntamente com o anúncio do Evangelho preocupou-se com a promoção social dos camponeses e pastores de rebalhos.

 

Resenha histórica: em inglês…8 (clique)

  

 

 

Anísio de Abreu - Piauí

Comunidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Inseridas bem no sertão do Piauí, as nossas Irmãs da Comunidade N. S. do Perpétuo Socorro tiveram a alegria de verem a bênção do terreno e o lançamento da primeira pedra onde será construída a casa das Irmãs.

Passados mais de seis anos da sua presença junto do povo de Anísio de Abreu, num serviço de evangelização, saúde e promoção humana, chegou o momento das irmãs disporem dum melhor local para habitação e para o atendimento à todas pessoas que as procuram.

Como todos sabemos, o Piauí é o terceiro estado mais pobre do Brasil sofrendo, repetidamente, os efeitos das secas que dificultam a vida das pessoas levando-as, com frequência, a passarem sérias necessidades. Conforme dados do IBGE, 32% da população do Piauí vivem em estado de pobreza. É neste meio tão carente de bens mas sedento de Deus que, graças à ajuda da organização Adveniat e de algumas pessoas amigas, as Irmãs poderão continuar a sua presença de testemunhas do Reino Deus. Bendito seja Deus por todos aqueles que de uma forma ou de outra vão nos ajudando a manter esta missão no interior deste estado.

 

 

 

Capítulo 2011

Foi na noite do 11 de Novembro, festa de São Martinho e dia no qual celebramos o batismo de Ana Maria Javouhey, que as Irmãs Capitulares se reuniram na capela principal da Casa Vice Provincial para, numa vigília de adoração, invocar as luzes do Espírito Santo sobre os trabalhos que se iriam iniciar no dia seguinte, 12 de Novembro.

Na linha do Documento de Aparecida, cabia às capitulares abrir-se à ação deste mesmo Espírito para “ver” com o olhar de Deus, “julgar” com os critérios do Evangelho e, por fim, para “agir” como Cristo agiria. Foi com esta dinâmica que, em grupo, nos dias que se seguiram procuramos “julgar as situações, discernir os novos apelos, para prosseguir a nossa ação missionária no mundo deste tempo” (cf. Const. art. 128).

Sob o lema: “Eis que faço novas todas as coisas” (Ap. 21,5b), os trabalhos se desenrolaram com momentos fortes de oração, reflexão, partilha e debates, procurando perscrutar os desígnios de Deus neste momento da nossa história.

Uma verdadeira revisão e projeção da nossa vida consagrada, em todas as suas dimensões e, em particular, da nossa Missão, na linha do Carisma e Espiritualidade que nos legou Ana Maria Javouhey, no seu serviço a Deus e à Humanidade.

A todos os que nos acompanharam com as suas orações, particularmente, aos Associados, o nosso muito obrigada!

Flash do Capítulo V. Provincial...